segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

GAMER - ÍTALO CHIACA | RESENHA



Editora: Clube de Autores
Livro: GAMER
Gênero: Crônicas/Jogos
ISBN: 978-85-91772-24-7
Ano: 2018
Páginas: 300




SINOPSE:

"O livro GAMER traz uma compilação de todas as crônicas que o autor Ítalo Chianca escreveu nos últimos anos. São histórias ambientadas nas décadas de 1990 e 2000, cercadas de tudo que fez desse período algo único e especial para a sua geração. Tem brincadeiras de rua, resenhas da escola, brinquedos e comidas da época e, claro, muito videogame."


***

Pense num livro simples, mas que sirva como uma máquina do tempo, que faça você "reviver" momentos raros da sua infância... sim! Eu pude sentir muita nostalgia lendo o livro GAMER.


Um emaranhado de sentimentos bons é o que esse livro me proporcionou! Fazia tempo que não pegava uma leitura assim, que me tirasse da zona de conforto "ficção e fantasia", com a qual eu me identificasse tanto. Mas isso tudo se deve ao fato de que tenho quase a mesma idade do autor, e assim como ele, sempre morei em uma cidade do interior, no meu caso, noroeste fluminense do estado do Rio de Janeiro, que é Itaperuna. Então, algumas das minhas experiências com os games, foram bem parecidas com as dele. Por exemplo: o primeiro jogo da vida foi SUPER MÁRIO WORLD; os gráficos de Donkey Kong Country 1, 2 e 3 me prenderam para sempre, ambos os jogos de SNES. Isso, entre outras inúmeras coisas, foi algo marcante, que fez eu me interessar por jogos eletrônicos e assim entrar nesse mundo sem volta. 

O livro é muito bem escrito e fala de muitas dessas "vivências" de infância, adolescência e algumas até da vida adulta do autor. Em suas crônicas, ele aborda o seu contato íntimo com os jogos eletrônicos e o ambiente das locadoras, que infelizmente, não existe mais nos dias atuais; não tratando simplesmente de contar a história em si, o autor demonstra com as suas palavras diversos aprendizados como criação de caráter e valores morais, com os quais ele levou pra vida toda. É algo com o qual podemos aprender sempre. 

Além de uma abordagem bem tranquila e descontraída, o autor vai revelando em seus textos, como foi conhecer e jogar os consoles de cada época, seus altos e baixos, as disputas entre as indústrias produtoras dos jogos (e as locadoras...rsrs) e o acompanhamento das revistas para pegar dicas e macetes, isso tudo para aperfeiçoar as "jogatinas". Da mais divertida até a mais misteriosa, muitas dessas crônicas carregam aprendizados e ensinamentos, que moldam uma personalidade simples e humilde no coração de um garoto "gamer" sonhador.


Ele coloca as antigas locadoras como um "templo da diversão". Enaltece em cada crônica o quanto era enriquecedor estar nesse ambiente e poder jogar videogames, conversar sobre jogos e desenhos, brincadeiras e fazer amizades com aqueles que sempre tinham algo em comum para desfrutar. De fato, ele está correto! A minha pouca experiência, com as poucas locadoras que frequentei em Itaperuna, trouxe amizades que carrego até hoje. Realmente isso não tem preço algum no mundo que pague!

Se uma leitura te faz se identificar com as histórias... isso automaticamente te prende. Eu consegui ter empatia em cada situação e me preocupei com o rumo de tudo. Por momentos, eu me sentia vivendo as aventuras do Ítalo, nas Locadoras de São José do Seridó! Isso tudo é o cuidado e o capricho aplicado numa obra! Essa leitura rebuscou um sentimento adormecido no interior desse leitor aqui. Já até providenciei uma manete e um emulador para voltar a jogar SNES mais vezes no PC. Se a intenção do autor foi trazer tudo isso com as suas crônicas e mais uma certa noção de como aquela época foi boa... parabéns! Conseguiu fazer isso com êxito.


Classifico o livro
GAMER
como 5 balõezinhos: EXCELENTE!
💬💬💬💬💬

sexta-feira, 1 de novembro de 2019

NOVEMBRO AZUL | APOIE TAMBÉM ESSA CAUSA!

O movimento popular conhecido internacionalmente como
Novembro Azul
é comemorado em todos os lugares mundo.


Esse nome "Novembro Azul" remete à cor do laço azul, que serve para simbolizar mundialmente a luta e prevenção contra o câncer de próstata e estimular a participação de entidades, empresas e sobretudo, da população nesta causa. A campanha é semelhante ao Outubro Rosa, no entanto, voltada desta vez, para os cuidados de saúde dos homens.


Infelizmente, por parte dos homens existe muito preconceito por causa do exame de toque retal. Sem mencionar que a maioria dos homens não se cuida, ou vai ao médico regularmente, deixando isso apenas  pros 45 minutos do segundo tempo, o que certamente complica toda a situação quando se envolve saúde e patologias. 




Hoje, o munto todo se envolve nesse movimento. E por isso, o PAPO NERD vem aqui colaborar com esta campanha reforçando ainda mais a mensagem, que pode e deve ser transmitida, não somente neste mês de campanha, mas por todo o ano. Lógico que, durante esse período, o manifesto em relação ao combate  e prevenção são mais frequentes e consolidados, tendo em vista que a finalidade do movimento é esta. Mas, queremos também conscientizar nossos "NERDs and GEEKs" que nos seguem e acompanham, mostrando a importância de se combater e prevenir o câncer de próstata, manifestando que apoiamos também essa causa.



A popularidade do movimento Novembro Azul conquistou o mundo unindo e motivando diferentes povos em torno de uma causa mais do que nobre. Isso faz com que a iluminação em azul, por todo o mundo assuma um importante papel, tornando-se uma leitura visual, compreendida em qualquer lugar no mundo.




NOVEMBRO AZUL
APOIE TAMBÉM ESSA CAUSA!

quinta-feira, 10 de outubro de 2019

OUTUBRO ROSA | APOIE TAMBÉM ESSA CAUSA!

O movimento popularmente conhecido em âmbito
internacional como Outubro Rosa
é comemorado em todos os  lugares mundo. 


Esse nome "Outubro Rosa" remete à cor do laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, entidades e empresas. O movimento começou nos Estados Unidos, onde vários Estados tinham ações isoladas referentes ao câncer de mama e/ou mamografia no mês de outubro.


Hoje, o munto todo se envolve no movimento. E por isso, o PAPO NERD vem aqui colaborar com esta campanha reforçando ainda mais a mensagem, que deve ser transmitida, não somente neste mês de campanha, mas por todo o ano. Lógico que, durante esse período, o manifesto em relação ao combate  e prevenção são mais frequentes e consolidados, tendo em vista que a finalidade do movimento é esta. Mas, queremos também conscientizar nossas "NERDs and GEEKs" que nos seguem e acompanham, mostrando a importância de se combater e prevenir o câncer de mama, manifestando que apoiamos também essa causa.


A popularidade do movimento Outubro Rosa conquistou o mundo de uma forma bonita, feminina e elegante, unindo e motivando diferentes povos em torno de uma causa tão nobre. Isso faz com que a iluminação em rosa assuma um importante papel, tornando-se uma leitura visual, compreendida em qualquer lugar no mundo.


OUTUBRO ROSA
APOIE TAMBÉM ESSA CAUSA!

quarta-feira, 17 de julho de 2019

(DES)ENCANTO - 1ª TEMPORADA - NETFLIX | REVIEW


(DES)ENCANTO

Lembrando que esse review será feito pela perspectiva de um fã... 

Matt Groening segue na mesma pegada já conhecida de Os Simpsons e Futurama, porém, acrescenta uma dose extra de "Game of Thrones".


Exatamente! A primeira impressão que obtive com (Des)Encanto foi entender que Groening mesclou "Simpsons" com GOT, mostrando aquela fórmula um tanto já conhecida de comédia exacerbada nos desenhos(animações) de seu acervo produtivo. Já eram esperados aqueles traços clássicos dos personagens envolvendo bocas grandes e olhos esbugalhados, no entanto, diferente dos tempos da da "TV aberta" (Os Simpsons e Futurama) a era NETFLIX desconstruiu e reconstruiu alguns aspectos para essas novas adaptações.

Ou seja, os ingredientes ainda são os mesmos, mas o tempero e o modo de preparo tem um diferencial fundamental para atrair a geração atual. Os traços estão um pouco mais refinados e remetem aos efeitos especiais, cada vez mais atuais e isso é muito positivo de modo geral. Em alguns momentos de ação ou mais dinâmicos isso é percebido de forma clara.

A trama de (Des)Encanto se baseia na jornada da despojada e beberrona princesa, Bean (Abbi Jacobson), do fiel elfo, Elfo (Nat Faxon) (o nome, obviamente, funciona melhor em inglês), e do malicioso e pequeno demônio, Luci (Eric André). Logo de cara, os personagens são introduzidos com uma dinâmica remetente à uma clássica representação de dilemas morais, onde o elfo e o demônio fazem os papéis de anjinho e diabinho nos ombros da princesa Bean. 


Com o desenrolar do tempo, essa dinâmica vai sendo abandonada em função do crescimento individual e desenvolvimento de cada personagem; esses coadjuvantes da série, trazem as características que são referências satíricas do trabalho de Groening. A trama é preenchida de forma muito boa com isso.

As sacadas são muito boas e as cutucadas em algumas feridas são bem diretas, especialmente sobre questionamentos de fundamentalismo religioso, excentricidades da realeza e situações de machismo. A dublagem brasileira – que ficou excelente – é um grande diferencial quando usa, com muita propriedade, referências a inúmeros memes que marcaram época; no entanto, algumas destas referências se tornam um tanto forçadas ou repetitivas.

Cabe ressaltar ainda sobre a alta qualidade da animação e também a trilha sonora perfeita, que proporciona todo um clima de imersão em um mundo de fantasia medieval. Isso foi excêntrico! A animação tem total capacidade de agradar tanto aos fãs de Simpsons, quanto os Futurama, além de qualquer espectador que procure uma ótima série animada neste seguimento, para dar boas risadas com as situações mais absurdas.

A primeira temporada de (Des)encanto possui 10 episódios e já está disponível na NETFLIX, desde agosto do ano passado, mas cabe aqui uma dica super legal pra quem curte animações e desenhos com esse tipo de comédia. Foi um projeto interessante e bem pretensioso, que deu muito certo por sinal. Já aguardo com muita expectativa a próxima temporada, que tem estréia marcada para setembro de 2019. 


Lembrando que esse review foi feito pela perspectiva de um fã...

Classifico a Animação
(DES)ENCANTO
como 4 balõezinhos: Muito Boa!

💬💬💬💬

terça-feira, 9 de julho de 2019

O EXÉRCITO DE IMORTAIS - FOLCLÓRIKA - LIVRO 1 / GLAUCO J. S. FREITAS | RESENHA





Editora: PenDragon
Livro: Folclórika #1 - O Exército de Imortais 
Gênero: Aventura/Fantasia
ISBN: 978-85-95940-28-4 
Ano: 2017
Páginas: 178





SINOPSE:

"AMALDIÇOADO PELA GIGANTESCA COBRA DE FOGO, MBOI TATR, O REINO DE AKAKOR HÁ SÉCULOS VIVE EM GUERRA DESIGUAL CONTRA CRIATURAS FEROZES E IMORTAIS."

 Agindo contra o reino, um grupo busca incansavelmente ver a segunda maldição de Mboi Tatr se concluir: tornar a viver e consumir o mundo em chamas. O mestiço Räel, um encantador de flechas, se vê no encalço do grupo a fim de impedí-los, colocando sua vida em risco quando poderes muito maiores que os seus entram no conflito.
  Primeiro livro da série Folclórika, O Exército de Imortais é uma High Fantasy inspirada no folclore nacional, trazendo as lendas e mitos brasileiros para uma nova e fantástica realidade.

***
O livro foi recebido por conta da parceria com a Editora PenDragon e você, leitor apaixonado e apoiador da literatura nacional, pode adquirir na loja online clicando AQUI!

Seria clichê dizer que um livro de fantasia é fantástico? Talvez. Mas nesse caso em especial, o crédito se deve ao autor, que realmente foi criativo ao usar elementos do folclore nacional para criar o seu mundo fantástico. Isso, de fato, foi puramente brilhante! Sem mencionar nessa capa bem estilosa. Confira abaixo:


Logo de início, fiquei um tanto confuso com o uso da linguagem e a nomenclatura das classes e também dos monstros, fiquei meio sem entender quem era quem, mas, isso acabou mudando rapidamente, conforme fui me acostumando com o começo da história. A maneira como a magia é utilizada e aprendida nesta realidade é bastante detalhada e muito bem elaborada. Na trama, não existem coisas mirabolantes ocorrendo ao acaso e sem explicação, tudo é bem encaixado e é exatamente isso que faz do livro um diferencial. 

O livro em si não é enorme. Possui aproximadamente 180 páginas e isso deixa a história um tanto dinâmica. O seu mundo fantástico é muito bem criado e existe uma explicação que vai desde sua criação até o momento em que a trama começa a se desenrolar, tudo de bom e ruim para as suas consequências, e o melhor é que o autor não gasta páginas para explicar isso, ele consegue sintetizar muito bem e faz com que se entenda o que é básico e necessário para a experiência na leitura. Ou seja, nada fica perdido, quando se remete a um todo.


Os personagens da trama são bem desenvolvidos e cada um tem sua personalidade e peculiaridades bem definidas. O protagonista Räel, que é um mestiço encantador de flechas, vive dividido entre trabalho e suas convicções, é um personagem deveras cativante. Você consegue sentir empatia por ele e se importar com suas ações e reações. As vezes ele é tenso e mal humorado, em outras, é bastante engraçado. Räel é o ápice do livro. Um protagonista que foge do habitual clichê dos "mocinhos".



Após voltar de uma missão, Räel é informado de que duas irmãs querem se tornar arqueiras e ele ficará incumbido de ajudá-las. Isso acaba sendo meio que uma espécie de punição para ele, que depois de conhecê-las, se surpreende com a personalidade e o carisma de cada uma. No entanto, ao receber uma nova missão, ele decide levá-las junto com ele. Só não esperava que fosse uma missão bem difícil, e que ela envolvesse diversas outras coisas, que de fato, não estavam previstas em seus planos. Isso o forçou a ser mais forte e dedicado do que jamais foi. 

No que diz respeito às descrições, o autor não detalha muito sobre as coisas, o que é bom apenas de certa maneira, por que força o leitor a imaginar mais sobre tudo, tornando assim uma leitura que prende a atenção. Em alguns momentos é quase que possível se imaginar vivendo num jogo de RPG. Porém, as descrições de lugares e batalhas são resumidas, um tanto rápidas e algumas até superficiais, mas no fim das contas, não deixa a desejar. 

Uma jogada inteligente do autor foi dividir (subdividir) os capítulos colocando nome nesses capítulos e números em suas divisões. Acho que isso acabou facilitando para marcar onde eu parava e serviu para criar metas enquanto ia fazendo a leitura. Outro destaque a se acrescentar na história é a analogia com figuras do folclore brasileiro. O autor pega "seres" do cenário cultural local e dá uma repaginada com o seu toque peculiar. Isso foi absurdamente enriquecedor para a obra! Eu tive que pesquisar um pouco mais sobre esses seres para compreender de forma mais ampla e complexa. 


A escrita do Glauco J. S. Freitas é bastante fluída e bem direta. A dinâmica do livro ajuda muito com isso e deixa com um tom mais atrativo. Os ingredientes deixados ao caminho dela, servem  para chamar a atenção do leitor, despertando interesse em querer desvendar sempre o que vai acontecer no próximo capítulo.


É um livro muito bom e de leitura agradável. Com certeza vale a pena. É uma boa pedida para quem curte o gênero de fantasia com uma pegada mais sombria e "folclórica". Começou muito bem essa saga, que com certeza, vai continuar prazerosa de se ler, seja uma continuação ou em um spin-off.

Parabéns para o autor pelo talento e para a Editora por apostar nessas incríveis obras nacionais! 
Para adquirir o livro clique AQUI!

Classifico o livro
FOLCLÓRIKA #1 - O Exército de Imortais
como 4 balõezinhos: Muito Bom!

💬💬💬💬