domingo, 5 de março de 2017

PERCY JACKSON E O LADRÃO DE RAIOS | PRIMEIRA ETAPA DO PROJETO PNG CONCLUÍDA

"Você irá para o oeste, e irá enfrentar o deus que se tornou desleal. Irá encontrar o que foi roubado, e o verá devolvido em segurança. Será traído por aquele que o chama de amigo. E no fim, irá fracassar em salvar aquilo que mais importa."




Autor: Rick Riordan
Editora: Intrínseca
Série: Percy Jackson & Os Olimpianos
Livro: Um - O Ladrão de Raios
Edição: 2
ISBN: 978-85-8057-539-2
Ano: 2014  
Páginas: 387
Gênero: Romance/Aventura
Idioma: Português




Finalmente foi concluída a primeira parte do nosso projeto #LendoPercyJacksonPNG em parceria com o canal da nossa querida amiga Graci Schmidt visitem-na e se inscrevam no canal literário dela para acompanhar e conhecer seu trabalho.



E já começo dizendo que o objetivo desta resenha não é compará-la totalmente ao filme "Percy Jackson e o Ladrão de Raios - 2010" que também já assisti e gostei muito, porém, é vital acrescentar aqui que os acontecimentos do livro ocorrem de forma muito diferente ao que ocorre no filme, tendo em vista, claro, a riqueza em detalhes do livro e sua essência ao abordar a história em si. O filme foi uma adaptação do livro um da saga.


Foi uma leitura e tanto, simplesmente contagiante. Emocionante e convidativa a cada novo capítulo. Apesar de ser o primeiro livro da saga e uma introdução ao universo mitológico, o autor conseguiu trazer uma abordagem bastante peculiar e que tornou interessante toda a descoberta de Percy Jackson em ser um "meio-sangue": termo designado para semideus, ou um mestiço, que significa filho de um deus com um ser humano. O livro é narrado em primeira pessoa com o ponto de vista do protagonista Percy, um garoto de doze anos e que pula de uma escola especial para outra por conta de seu "problema" de dislexia e déficit de atenção. 
Tudo isso começa a mudar quando ele descobre que está em um mundo onde deuses gregos existem e se relacionam com os humanos, sátiros são protetores guardiões dos meio-sangues, sem mencionar as ninfas da floresta e outros inúmeros monstros ligados à mitologia grega. 
Depois de  descobrir que é possivelmente um semideus, Percy Jackson se vê em apuros no mundo real e sua mãe Sally Jackson juntamente com Grover, seu melhor amigo na Academia Yancy (e secretamente um sátiro designado como seu protetor) e o Sr. Brunner um professor de Latim que é paraplégico (e que mais tarde se torna Quíron, um importante amigo e treinador de Percy) chegam a conclusão de que o mundo real não é mais seguro e que devem enviá-lo logo ao acampamento meio-sangue, um local protegido e que serve de treinamento para esse tipo de pessoas, os semideuses. Lá ele descobre enfim ser filho de Poseidon, um dos três grandes deuses e conhece outros como ele: Annabeth, filha da deusa da sabedoria Atena e Luke, filho de Hermes, o deus mensageiro. Ambos importantes personagens na trama.
No entanto, algo que ele não estava prevendo acontece... o raio mestre que é arma suprema de Zeus é roubado, e isso começa afetar o mundo real com grandes consequências, como até uma possível terceira guerra mundial,  o que deixa o clima pelo mundo num descontrole imenso onde tempestades e terremotos ocorrem com mais frequência por causa do embate entre os deuses que ficam a um fio de iniciar um confronto. Como se não bastasse, Percy foi acusado injustamente de ter feito essa façanha e é então designado com uma missão de sair pelos Estados Unidos e chegar ao Olimpo (morada dos deuses) para comprovar sua inocência perante todos eles e ao mesmo tempo tentar salvar o mundo e restabelecer a paz. O bom é que ele não embarca sozinho nessa. Grover e Annabeth vão junto de Percy na sua missão.
No início da postagem deixei a profecia marcante que o Oráculo do acampamento meio-sangue faz para Percy Jackson, um ponto que achei muito importante e crucial no livro e o que o deixa o tempo todo com uma pulga atrás da orelha em todo o decorrer de sua missão. 

O livro é o primeiro de uma saga de cinco. Achei que foi uma trama bem desenvolvida sobre o campo da mitologia e louvo a criatividade do autor em trazer uma coisa que foi um destaque bem singular. Com um ritmo perfeito ele soube introduzir o leitor ao seu mundo mitológico e ao mesmo tempo inseri-lo em uma aventura onde a batalha com monstros é um mistério tratado de forma bem elaborada em cada capítulo. Achei a diagramação do livro muito boa e não encontrei erros durante a leitura. 
Apesar de conhecer de nome vários personagens da mitologia, gostei muito da forma com que o autor desenvolveu a personalidade de cada um, seja humano, meio-sangue ou até mesmo deus na história. Foi surpreendente. Eu particularmente gosto muito de história e o ramo da mitologia grega é uma das partes que considero mais misteriosas. Isso contribuiu fortemente para o meu interesse na busca pela leitura de uma nova saga pela qual eu ainda não tinha me aventurado. De fato, é um convite e tanto para os amantes (assim como eu) de literatura fantástica e que curtem uma boa aula de história que é ensinada de forma bem descontraída em suas páginas. Simplesmente eletrizante! É como eu resumo em poucas palavras este livro. 

Classifico como 5 balõezinhos:
💬💬💬💬💬